5 years ago we took the first step towards where we are now.  We didn’t care if we were going to make it and we didn’t care about success. We cared about being happy and creating something together. We couldn’t care less about what people thought because, if we did, I wouldn’t be here writing this blog post today. We heard all sorts of reasons not to take the leap: “The economy is bad”, “You have a safe job and will you quit being an engineer to become a photographer?”, “Where will you find the clients? You must be crazy!”. We could see in people’s eyes they thought we were mad, we could see the disapproval in their eyes, we could feel their fear but when you know you have to do something, you just know you have to do it. So, 5 years ago we opened our first studio, not because we wanted to be successful, but because we wanted to produce really beautiful images, because we wanted to do this together and tell people’s stories through our cameras. No matter how crazy people thought we were, and how much they thought we were going to fail, we did it anyway knowing that if we failed, we would have failed trying.
Since then, no day has been easy, no week has been worry free, but we wouldn’t change it for anything in the world. We are still finding our way, we are still fighting for our place in this industry, but it feels good to look back and know that all this time, we rolled up our sleeves and actually did something. The studio is now behind our backs, we have an office closer to home but we look back at it with the same feeling we look at the first house we shared together: it was the beginning, we gave all we had to make it work and that is really all we need.
If you are on the fence like we were when we started, let me share a few words with you: everyone will tell you you are crazy and you will feel the disbelief  from everyone, you will most likely lose the “friends” you thought you had at your previous job and it will be really hard in the beginning but it will get better with time. The feeling of doing something you love will never go away: Mondays will be an opportunity to get back to do what you love, you will be sad that Friday is around the corner again and months will fly by.

It was one of the hardest things we have ever done, but also one of the most rewarding ones. If you, like us, have gone through a similar sitation, leave us a comment below telling a little bit of your experience! Maybe together we will inspire someone to follow their dreams.

p.s. – Most of these pictures were taken with a 2011 iPod and they are far from being perfect but they tell a very important story: the evolution of our studio, from the moment we first saw it and got the key until it was fully operational.

 

Following our dreams 001

Há 5 anos demos o primeiro passo para onde estamos hoje. Não queríamos saber se conseguiríamos singrar ou se teríamos sucesso. Queríamos apenas ser felizes e poder criar algo juntos. Não queríamos saber o que os outros pensavam da nossa decisão porque, se lhes tivéssemos dado ouvidos, hoje eu não estaria aqui a escrever-vos este blog post. Ouvimos todo o tipo de razões para não dar o salto: “a economia está em baixo”, “tu tens um emprego seguro e vais deixar de ser engenheiro para passares a ser fotógrafo?”, “onde vais arranjar clientes? Deves ser louco!”. Conseguíamos ver nos rostos das outras pessoas que elas pensavam que éramos loucos, conseguíamos ver a desaprovação nos seus olhos, conseguíamos sentir o medo deles, mas quando sabemos que há algo que temos que fazer, simplesmente temos que o fazer. Assim, há 5 anos abrimos o nosso primeiro estúdio, não porque procurássemos sucesso, mas porque queríamos produzir imagens bonitas, queríamos fazer isto juntos e poder contar as estórias das pessoas através das nossas câmaras. Não interessa o quão loucos as pessoas pensavam que éramos, ou o quanto achavam que íamos falhar, nós fizemo-lo na mesma sabendo que, se falhássemos, falharíamos tentando.
Desde então, nenhum dia tem sido fácil, nenhuma semana passa sem preocupação, mas não o trocaríamos por nada neste mundo. Estamos ainda a encontrar o nosso caminho, estamos ainda a lutar pelo nosso lugar nesta indústria, mas sabe bem olhar para trás e saber que, este tempo todo, arregaçámos as mangas e fizemos algo por nós. O estúdio está no passado e temos agora um escritório perto de casa, mas olhamos para trás com o mesmo sentimento com que se olha para a primeira casa onde vivemos juntos: foi o início, demos tudo o que podíamos para fazer resultar e, no fundo, é tudo o que precisamos.
Se tu, tal como nós, não sabes se deves dar o salto ou não, deixa-me partilhar umas palavras contigo: toda a gente te vai dizer que estás louco, vais sentir o descrédito de toda a gente, muito provavelmente perderás os “amigos” que achavas ter no emprego antigo e no início será mesmo muito difícil, mas com o passar do tempo vai ficando um pouco mais fácil. A sensação de fazer algo que se adora nunca irá desaparecer: as segundas-feiras serão uma oportunidade para regressares àquilo que mais gostas de fazer, darás por ti a ter pena que a sexta-feira esteja já ao virar da esquina outra vez e os meses voarão.
Foi uma das coisas mais difíceis que já fizemos, mas também uma das mais recompensadoras. Se também tu já passaste por isto, deixa-nos um comentário embaixo contando um pouco da tua experiência! Quem sabe, juntos, possamos inspirar alguém a seguir o seu sonho.

p.s.- A maior parte destas imagens foram tiradas com um iPod de 2011 e estão longe de estarem perfeitas, mas dizem-nos muito: a evolução do nosso estúdio, desde o momento em que ficámos com a chave até estar totalmente operacional!

Following our dreams 002 Following our dreams 003 Following our dreams 004 Following our dreams 005 Following our dreams 006 Following our dreams 007 Following our dreams 008 Following our dreams 009 Following our dreams 010 Following our dreams 011 Following our dreams 012 Following our dreams 013 Following our dreams 014 Following our dreams 015 Following our dreams 016 Following our dreams 017 Following our dreams 019 Following our dreams 020 Following our dreams 021

Leave A

Comment

26/04/2016
Loucos são os que não seguem os seus sonhos, ou aqueles que acham que o dinheiro e a segurança é sinónimo de felicidade! Ninguém diz que é fácil, não, de facto não é, mas partilho convosco o mesmo sentimento "inexplicável" de ver nascer algo feito por nós! Estou ainda numa fase muito inicial se comparando com o vosso percurso, mas em tão pouco tempo já tive tantas alegrias, também desgostos e vontade de mandar tudo pelo ar, mas tantas alegrias, tanto prazer naquilo que faço que qualquer peça falhada, qualquer par de sapatos a menos no roupeiro, qualquer tipo de olhar ou comentário negativo sobre a economia do país, deixa de ter qualquer valor comparando com o que o meu trabalho me dá! Claro que tive também muito muito apoio e penso que não teria avançado se não fosse o ombro da família e sobretudo do marido que muita mão também pôs neste projecto, mas hoje vejo como fui tonta em ter receio e encorajo a seguirem aquilo que desejam! E vocês são, sem dúvida, uma fonte de inspiração!!! Se vou chegar ao vosso patamar não sei! Mas pelo menos tentei!! Parabéns por estes 5 anos e que venham muitos muitos mais ;)
26/04/2016
Obrigada pela tua contribuição Ritinha! É difícil descobrir o nosso sonho e ter coragem de o seguir, ter confiança e acreditar que somos capazes quando tudo à nossa volta, conformista, te pergunta "para quê?". Sabemos que no final poderemos falhar, mas pelo menos tentámos. Pelo menos tirámos esta ideia teimosa da nossa cabeça e aprendemos que é possível ou não. Talvez este sonho nos leve a outro, seja um passo intermédio, mas não podemos ter medo de o viver. Beijinho grande!!
Vanessa
26/04/2016
Antes de mais que venham mais 5×10 (pelo menos) para que muitos como eu tenham a oportunidade de vos conhecer pessoal e profissionalmente. É do nada que se começa e que quando se chega longe a sensação de prazer e dever cumprido faz muito mais sentido. Revejo-me nas vossas palavras e como sabem também deixei o certo pelo incerto para correr pelo que me dava prazer. Isto tudo debaixo de olhares e palavras como "Aah fazes bem. Se é o que tu queres fazes bem." Mas que soavam mais a "mas o que é que ela vai fazer. .. tem um trabalho estável, ganha bem... isto não cai correr bem!!" Eu própria receei alguns momentos do que estava a fazer mas quando punha as hipóteses em cima da mesa eram duas: ou tentar ou passar a vida a fazer o que não gostava! A última deixou rapidamente de ser opção e lá fui eu... entre muito esforço e dedicação não é que consegui? Eheh era essa sensação que alguém em cada me descrevia que eu Tb queria sentir. Acordar e ir trabalhar com prazer. Serem 20h da noite ainda a trabalhar e pensar "ui... o jantar. Já são 20h... Não fui ao ginásio... pronto não faz mal vou amanhã. E pra comer. ..olha sai uma sopa!" E ver os dias a passar tão rápido mas com tanto prazer. Agora sim somos dois lá em casa com o mesmo sentimento. E se eu consegui não foi porque sou espetacular. Mas porque tentei e lutei para que acontecesse. Por isso quem quiser consegue com mais ou menos esforço tudo (ou quase tudo vá) é possível. É isto.... pra vocês deixo-vos um grande beijinho e o desejo de um futuro brilhante. Muah: )
27/04/2016
Percebemos perfeitamente o que passaste! Acontece mais tarde cruzarmo-nos com essas mesmas pessoas que nos disseram que não ia correr bem e, como trabalhámos para que corresse bem, levamos a palmadinha nas costas a dizer "epa, vocês é que a souberam toda!" mas se por acaso não tivesse corrido bem tinham sempre o "bem te disse" pronto para sair. Força e um beijinho muito grande para ti e para o Luís!
14/10/2016
Oi Meninos. Parabens. Já tinhamos falado sobre isto, mas foi a primeira vez que li estas palavras. Revemo-nos em cada palavra e receio. Tambem nós vamos arriscando. Só nao o fizemos os dois. Vamos por partes. Somos mais medricas talvez. Boa onda este texto. Abraço RUi e Gilda